domingo, 8 de março de 2015

Dia internacional da mulher


Dia internacional da mulher. Nesse dia em 1857, em Nova York, 130 mulheres morreram carbonizadas trancadas em uma fábrica de tecidos num ato covarde de violência brutal. O motivo? Uma manifestação pela diminuição da jornada de trabalho de 16 horas para 10 horas e melhores condições de trabalho. Naquela época, as mulheres eram tratadas quase como animais, 16 horas é trabalho escravo e ainda, por uma miséria. É muito justo, que a data seja lembrada como uma forma de homenagem àquelas mulheres. Homens e mulheres não são iguais. Tem coisas que homens não fazem tão bem quanto as mulheres e tem coisas que as mulheres não fazem tão bem quanto os homens. Mas, são pouquíssimas coisas. Não é justo então que haja tanto preconceito e tanta discriminação ainda nos dias de hoje por conta dessas diferenças. Mulheres não querem ser iguais aos homens, apenas querem ser reconhecidas como um ser humano tão capaz quanto um homem de realizar inúmeras tarefas. A questão não é ser feminista ou machista. Esses movimentos só querem provar quem é melhor que quem, e esse não é o objetivo. Ninguém é melhor que ninguém, todos são seres humanos com dois braços, duas pernas e cabeça; capazes de realizar as mesmas coisas, só que de modo diferente. Então, esse dia serve pra lembrar aquelas mulheres que morreram por causa de homens que se achavam melhores do que elas. Feliz Dia Internacional da Mulher!

”(…) com a Doutrina Espírita, a igualdade da mulher não é mais uma simples teoria especulativa; não é mais uma concessão da força à fraqueza, é um direito fundado nas mesmas Leis da Natureza. Dando a conhecer estas leis, o Espiritismo abre a era de emancipação legal da mulher, como abre a da igualdade e da fraternidade.”
(Revista Espírita, janeiro de 1866)

Me acompanhe também: Instagram | Twitter | Flickr | Ask | Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário