terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Dieta paleolítica

Apesar de ter sido apresentada ao público pela primeira vez em um estudo publicado na revista científica The New England Journal of Medicine, em 1985, foi só recentemente que a dieta paleolítica ganhou um espaço maior entre as que querem mudar o estilo de vida, inclusive à mesa da cantora pop americana Miley Cyrus. O ano de 2013 foi marcado por documentários e livros que falam do “método das cavernas”, defendido por especialistas como a solução para um dos maiores problemas da atualidade: a obesidade. A explicação para isso seria o fato de ocorpo humano não ter tido tempo para se adaptar aos hábitos alimentares do século 21. “Pesquisadores afirmam que 40 milênios não são suficientes para gerar no DNA uma alteração genética que prepare o organismo para tanta ingestão de cereais e alimentos industrializados”, revela Noadia Lobão, especialista em Nutrição Clínica Funcional (RJ). Márcia Loureiro, nutricionista da Life Clínica (SP), conta que 70% de tudo o que consumimos hoje são alimentos que não existiam na Idade da Pedra. (Corpo a Corpo)


Segunda (30/11/15) resolvi finalmente começar minha dieta, e a dieta paleolítica me chamou muito atenção por ser diferente e adotar métodos alimentares do passado, que alias eu AMO comer carne então não estou gostando nem um pouco dessa dieta haha. Nesse post vim falar um pouco sobre e explicar pra vocês com fontes confiáveis como funciona, o que pode ou não comer.



  • ALIMENTOS PERMITIDOS
Carne: todos os tipos de carne são permitidos, já que a dieta incentiva o consumo de muitas proteínas. Pode ser bovina, suína, aves, peixes, além dos frutos do mar.

Gorduras naturais: aquelas extraídas à frio ou da polpa, como azeite de oliva, óleo de coco, de linhaça, de abacate, de macadâmia etc.

Frutas e vegetais: podem ser consumidos à vontade e são fontes de carboidratos para o organismo. Para quem pretende emagrecer com a dieta paleo, o ideal é maneirar no consumo de frutas. Prefiras as frutas vermelhas e com baixo teor de frutose (açúcar da fruta), como abacate, coco, limão e maracujá.

Ovos: são altamente recomendados nesta dieta e podem ser preparados de diversas maneiras, como fritos, cozidos, mexidos ou em forma de omelete.

Nozes: pistache, castanha-do-pará, avelã, macadâmia e castanha-de-caju.

Temperos: o melhor é temperar os alimentos de forma natural, com alho, cebola e ervas;

Bebidas: água, sucos naturais não coados ou adoçados, chás e café.

  • ALIMENTOS PROIBIDOS
Açúcares: nada de açúcar refinado, bolo, torta, bolachas recheadas, doces em geral.

Grãos, cereais e leguminosas em geral: arroz, ervilha, cevada, aveia, vagem, amendoim, feijão, lentilha, entre outros são proibidos.

Batata: apenas a batata-doce é permitida, mas com consumo moderado.

Amido: massas, farinhas, amido de milho.

Margarina e óleos processados: de soja, de milho, de girassol, de canola etc.

Bebidas industrializadas: refrigerantes, sucos artificiais, cervejas etc.
Produtos industrializados em geral.

  • CONSUMA COM CUIDADO
Em pouca quantidade e sempre acompanhando proteínas, fibras e gordura, é permitido comer: arroz parboilizado, batata-doce, inhame, cará, cenoura, beterraba e tapioca.

Álcool: escolha bebidas com poucos carboidratos, como whisky e gim, e fuja da cerveja e do vinho.

Laticínios: o leite e seus derivados possuem muitos açúcares e proteínas que podem comprometer o emagrecimento e a produção hormonal. O melhor é evitar ou consumir moderadamente. 


Continuem me acompanhando:

Nenhum comentário:

Postar um comentário