terça-feira, 15 de novembro de 2016

[RESENHA] A Fúria e a aurora (Renée Ahdieh)

Ano: 2016 
Páginas: 336
Idioma: Português
Editora: Globo Alt


Sinopse: Personagem central da história, a jovem Sherazade se candidata ao posto de noiva de Khalid Ibn Al-Rashid, o rei de Khorasan, de 18 anos de idade, considerado um monstro pelos moradores da cidade por ele governada. Casando-se todos os dias com uma mulher diferente, o califa degola as eleitas a cada amanhecer. Depois de uma fila de garotas assassinadas no castelo, e inúmeras famílias desoladas, Sherazade perde uma de suas melhores amigas, Shiva, uma das vítimas fatais de Khalid. Em nome da forte amizade entre ambas, Sherazade planeja uma vingança para colocar fim às atrocidades do atual reinado. 

Noite após noite, Sherazade seduz o rei, tecendo histórias que encantam e que garantem sua sobrevivência, embora saiba que cada aurora pode ser a sua última. De maneira inesperada, no entanto, passa a enxergar outras situações e realidades nas quais vive um rei com um coração atormentado. Apaixonada, a heroína da história entra em conflito ao encarar seu próprio arrebatamento como uma traição imperdoável à amiga.

Apesar de não ter perdido a coragem de fazer justiça, de tirar a vida de Khalid em honra às mulheres mortas, Sherazade empreende a missão de desvendar os segredos escondidos nos imensos corredores do palácio de mármore e pedra e em cenários mágicos em meio ao deserto.

Renée Ahdieh sabe como escrever um bom romance, e ela nos mostra isso em ''A Fúria e a aurora''. Nesse livros temos um desenrolar incrível da trama. Li esse livro todo em uma noite, ele é daqueles livros que te enrolam com um tensão e você só consegue parar de ler quando termina. 

Shazi (Sherazade) é uma jovem de 16 anos doce e obstinada. Ela definitivamente sabe o que quer desse relacionamento, e todos os métodos que ela usa são desempenhados com tanta destreza que o rei, até então monstro assassino de noivas, se vê completamente preso ao seu feitiço. Ela não vacila nas suas convicções, a imagem de sua amiga shiva, uma das assassinadas, precisa ser honrada devidamente, mesmo que o seu coração mostre o contrario.

Khalid é atormentado pela sua infância conflituosa e tem uma serie de traumas que transformaram ele em um jovem introspectivo e de aparência dura, apesar de ter apenas 18 anos, ele carrega o peso de uma cidade nos ombros, o que faz com que a maturidade dele exceda sua idade. Ele tem uma imaturidade emocional muito clara, isso por causa tanto dos seus traumas, quanto da sua falta de experiencias amorosas, porém isso não impede dele demonstrar o seu amor (em forma de serviço e atenção principalmente) por Shazi.

Um dos pontos que me incomodaram nesse livro foi a facilidade que a protagonista se entrega. Em uma hora ela aparenta ser firme em alguns aspectos, mas quando perto de Khalid ela se entrega totalmente sem nenhum esforço contrario. A falta de um significado contextualizado durante a leitura também me fizeram falta, estamos falando uma cultura desconhecida com muitos termos próprios, ficar voltando para o glossário meio que tira o charme da leitura contínua.  

Os personagens secundários também são muito bem estruturados e divertidos, Dispina e Jalal muitas vezes roubam a atenção da protagonização pra eles. 

Espero que gostem. 

4,6/5



                                                            

Nenhum comentário:

Postar um comentário