quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

[RESENHA] Uma chama entre as cinzas (Sabaa Tahir)

Ano: 2015 
Páginas: 432
Idioma: português
Editora: Verus

Sinopse: Laia é uma escrava. Elias é um soldado. Nenhum dos dois é livre. No Império Marcial, a resposta para o desacato é a morte. Aqueles que não dão o próprio sangue pelo imperador arriscam perder as pessoas que amam e tudo que lhes é mais caro. É neste mundo brutal que Laia vive com os avós e o irmão mais velho. Eles não desafiam o Império, pois já viram o que acontece com quem se atreve a isso. Mas, quando o irmão de Laia é preso acusado de traição, ela é forçada a tomar uma atitude. Em troca da ajuda de rebeldes que prometem resgatar seu irmão, ela vai arriscar a própria vida para agir como espiã dentro da academia militar do Império. Ali, Laia conhece Elias, o melhor soldado da academia — e, secretamente, o mais relutante. O que Elias mais quer é se libertar da tirania que vem sendo treinado para aplicar. Logo ele e Laia percebem que a vida de ambos está interligada — e que suas escolhas podem mudar para sempre o destino do próprio Império.

Essa é umas das distopias mais I-N-C-R-I-V-E-I-S que eu já li! A autora é tão minuciosa, cria cada detalhe com tanta perfeição, vai do cenário, com descrições impressionantes, as casas, o interior delas, as ruínas, o subsolo, tudo é tão diferente e inspirador que a tarefa de ter uma leitura longa e despretensiosa é impossível. A trama é extremamente envolvente, você se sente presa ao livro de tal forma que sofre e vibra com os personagens como se eles fossem os seus melhores amigos.

Laia é uma menina simples que vive com seus avós e seu irmão mais velho. Ela leva uma vida monótona até o dia em que aparecem mascaras (guerreiros do império marcial) e levam seu irmão preso. Laia irá fazer de tudo para salvar o seu irmão, da mesma maneira que ele faria por ela. Uma das coisas mais marcantes na narrativa de Laia é o sofrimento. Ela sofre muito, e aguenta firme todas as punições e indiretamente todo o seu percurso serve de amadurecimento. Começamos a leitura com uma menina fraca, com expectativas de vida baixa e meio vitimizada por algumas situações, entretanto quando terminamos, somos apresentados a uma Laia madura, com ideologias firmadas, uma garota que sabe o que quer. 

Já Elias tem uma historia diferente, antes de chegar ao império marcial ele tinha uma vida feliz, apesar das circunstancias, ele tinha uma família. Após ser selecionado ele é aprimorado se torna o guerreiro mais temido do reino, porém apesar de ser uma das armas mais letais do governo, o seu maior desejo é ser livre, ele não concorda com a maneira violenta e ditatorial que os seus superiores se comportam,(a punição para quem é pego fugindo é a morte).

O livro inteiro é surpreendente, existe um suspense psicológico que te prende até o final do livro (o segundo livro ainda não foi lançado no Brasil, então para não sofrer como eu, leia devagar) os capitulos são alternados entre Elias e Laia. Não consegui escolher um favorito, a minha admiração ficou equilibrada com os dois. 

5/5 Espero que gostem! 



Nenhum comentário:

Postar um comentário