sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

[RESENHA] Trilogia Grisha (Leigh Bardugo)


 Ano: 2013/2014/2015         
 Páginas:288/365/344
 Idioma: português
 Editora: Gutenberg


Sinopse: Alina Starkov nunca esperou muito da vida. Órfã de guerra, ela tem uma única certeza: o apoio de seu melhor amigo, Maly, e sua inconveniente paixão por ele. Cartógrafa de seu regimento militar, em uma das expedições que precisa fazer à Dobra das Sombras – uma faixa anômala de escuridão repleta dos temíveis predadores volcras –, Alina vê Maly ser atacado pelos monstros e ficar brutalmente ferido. Seu instinto a leva a protegê-lo, quando inesperadamente ela vê revelado um poder latente que nunca suspeitou ter.A partir disso, é arrancada de seu mundo conhecido e levada da corte real para ser treinada como um dos Grishas, a elite mágica liderada pelo misterioso Darkling. Com o extraordinário poder de Alina em seu arsenal, ele acredita que poderá finalmente destruir a Dobra das Sombras.
Agora, ela terá de dominar e aprimorar seu dom especial e de algum modo adaptar-se à sua nova vida sem Maly. Mas nesse extravagante mundo nada é o que parece. As sombrias ameaças ao reino crescem cada vez mais, assim como a atração de Alina pelo Darkling, e ela acabará descobrindo um segredo que poderá dividir seu coração – e seu mundo – em dois. E isso pode determinar sua ruína ou seu triunfo.


*ESSA RESENHA CONTEM ALGUNS SPOILERS*

Faz um tempinho que terminei toda trilogia (é impossível não ler um atrás do outro quando se envolve com a história). A Leigh tem uma escrita fluida e gostosa de apreciar e apesar dos livros não serem necessariamente grandes, os acontecimentos são contínuos. 

A criação dos personagens são excelentes! Darkiling de longe é o personagem com a presença mais marcante da minha leitura do mês de janeiro. O cenário é bom e se encaixa perfeitamente com a narrativa. A autora coloca um pouquinho de literatura Russa mas muito superficialmente, só nos termos e em alguns pontos da mitologia. 

Os grishas são extremamente interessantes, a classificação social deles faz uma critica social bem forte a nossa atualidade. Apesar deles serem incrivelmente poderosos e superiores a todas as outras classes, ainda são usados como massa de manipulação nas mãos do rei.

Alina logo de inicio é uma personagem meio mais ou menos, não simpatizei muito com ela e se a trama fosse conduzida nesse ritmo iria ser difícil de concluir. Mas calma, a historia toma uma rumo inesperado e as falhas encontram um eixo pra se encaixar e permitir q a historia discorra certinha. Um dos pontos fortes é o nível de maturidade que ela ganha com o passar do tempo, deixa de ser uma garota fraca e sem brilho e se torna uma mulher poderosa e que entende tanto a sua personalidade quanto o seu poder. 

O Darkiling é um personagem de com uma presença extraordinária, super torci pra ele e Alina ficarem juntos e terem nenenzinhos da luz/trevas (doce ilusão), ele é carismático, poderoso e durante a leitura nos mostra um coração beirando a maldade mas não totalmente corrompido. Um dos pontos que me entristecem muito nessa trilogia foi final que é dado para esse personagem, a autora criou um perfil muito diferente pra ele com o decorrer na trama e foi ficando mais difícil de defender a personalidade do personagem, gostaria muito que ele fosse mais aproveitado e que o fim dele fosse totalmente o oposto do que foi.

Maly é um personagem que eu ainda não entendo direito. A ligação dele com Alina sempre foi algo muito próximo a irmãos, e apesar dela demostrar constantemente interesse por ele, podemos ver nitidamente que ele não correspondia na mesma intensidade. Porém quando Alina se torna grisha e a mulher mais poderosa viva, o interesse dele muda e brota um amor que ardente. Outra coisa que me incomodou é a forma que Alina se sente em relação ao poder dela quanto está perto dele, é como se ela se reprimisse e se sentisse culpada por ser quem é. O FATO dele ser rastreador é plausível mas um AMPLIFICADOR? pareceu que a autora queria dar um papel importante a ele a todo custo e essa foi a unica saída que conseguiu encontrar. 

Os personagens secundários são muito bem trabalhados e com personalidades fortes, um grande exemplo disso é o Príncipe/Pirata <3 (inclusive foi uma das melhores sacadas pra complementar a fantasia) e a alguns outros que varias vezes roubaram a cena do protagonismo.

Espero que gostem, abraços.

2 comentários:

  1. Olá Bruna, tudo bem?
    já conhecia os livros, mas essa é a primeira resenha que leio.
    Amei a resenha, fiquei com vontade de lê-los o mais rápido possível,rs.
    Beijos e seguindo aqui...

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Esther! Tudo ótimo e você?
    Que bom que gostou! Se curtir essa trilogia, dá uma olhadinha em six of crowns.
    Abraços.

    ResponderExcluir