sexta-feira, 17 de março de 2017

[RESENHA] Psicose (Robert Bloch)

Ano: 2013     

Páginas: 240   
Idioma: português     
Editora: Darkside books

Sinopse: Livro que deu origem ao mais famoso filme de suspense de todos os tempos. Psicose conta a história de Marion Crane, que foge após roubar o dinheiro que foi confiado a ela depositar num banco. Ela então vai parar no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora. Belo suspense, de tirar o fôlego!


Psicose é um dos livros mais intensos que já li na minha vida. Ele é daquele tipo de obra que te prende a ponto de não conseguir desgrudar os olhos das páginas até terminar tudo e ficar horas pensando em como se deu aquele final. Li esse livro com altíssimas expectativas, pelo de fato de ter assistido o filme de Alfred Hitchcock e apreciar tanto a história quanto a direção da obra, e confesso a vocês que a minha expectativa foi suprida com perfeição.

A inspiração de Bloch foi Edward Theodore Gein,  um psicopata de 1950 que fez duas vitimas, e na sua casa foram encontrados diversos crânios usados como tigelas, pele humana usa como estofado e coisas sinistras do tipo.

O livro acontece na terceira pessoa, por isso temos uma visão geral e uma percepção maior a cerca das personalidades dos personagens. Uma das coisas mais difíceis nesse livro é definir a moral de cada um, já que aparentemente todas as circunstancias articuladas até então são de intenções minimamente boas e visionarias, como o caso de Marion Crane.

Marion sempre viveu com o mínimo para manter sua família sustentada, porém, após conhecer e se apaixonar por Sam, um rapaz que almeja casar com ela e construir uma família estruturada, e isso seria possível se ele não estivesse com uma divida enorme e usasse todo o dinheiro da sua loja de construção para quitar ela. Marion trabalha em uma empresa de imobiliários e quando surge a oportunidade de ter 40 mil dólares em suas mão, ela não hesita e foge com a quantia para então, começar a tão sonhada vida com Sam. Na sua primeira noite de fuga, ela se hospeda em um Hotel simples e aparentemente tranquilo, e é nessa noite que uma das maiores cenas do terror clássico acontece. 

Norman é um homem de 40 anos, obeso, solitário e extremamente estranho. Seu único trabalho é conciliar a administração do hotel e cuidar da sua mãe, uma mulher reclusa e debilitada pela sua idade. Nas horas vagas ele pratica taxidermia e se aprofunda em conhecimentos em uma literatura bizarra.

É uma leitura fácil, mas existe uma atmosfera que precisava ser construída antes do suspense final, então não desista nas primeiras 50 paginas por achar que as coisas andam muito devagar, tenha fé e se surpreenda com um dos finais mais incríveis que você vai ler. 

A diagramação do livro é muito boa, letras não muito pequenas, paginas com conteúdo centralizado, bem organizado, tudo do jeito que a gente gosta. A capa é simples, a Darkside disponibilizou edições com capas duras, algumas imagens muito bem pensadas que ajudam muito na visualização da historia e marcadores de livros incríveis  

Espero que gostem,

4,5/5







Nenhum comentário:

Postar um comentário